LabClima
  • Eventos extremos de precipitação no Sul do Brasil foram tema de defesa de doutorado

    Publicado em 21/11/2017 às 11:54

    Ontem (20) a mais nova doutora Camila de Souza Cardoso (PPGG/UFSC), integrante do LabClima – GCN/UFSC e membro do Grupo de Estudos de Desastres Socionaturais (GEDN), obteve conceito máximo em sua defesa de doutorado. A pesquisa intitulada: Abrangência e persistência dos eventos extremos de precipitação no Sul do Brasil: El Niño Oscilação Sul e padrões atmosféricos, foi orientada pela Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça (in memoriam) e pela Prof.ª Dr.ª Carla Van Der Haagen Custodio Bonetti (GCN/UFSC), com coorientação do Prof. Dr. Mário Francisco Leal de Quadro (IFSC).

    Além da Prof.ª Carla e do Prof. Mário, estiveram na banca para avaliar a pesquisa, os professores: Dr. Maurici A. Monteiro (UNISUL), Dr. Rosandro B. Minuzzi (CCA/UFSC), Dr. Hugo Romero (UChile) e a meteorologista Maria Laura Guimarães Rodrigues (Epagri/Ciram).

    Camila, meteorologista de formação e mestre em geografia, como objetivo geral, analisou os eventos extremos de precipitação caracterizando-os conforme sua persistência e abrangência, verificando a influência do fenômeno El Niño Oscilação Sul e os padrões atmosféricos relacionados para o Sul do Brasil.

    Confira o RESUMO na íntegra: “A região Sul do Brasil em função de sua localização geográfica é caracterizada pela diversidade de sistemas meteorológicos que atuam o ano inteiro, resultando em condições adversas de tempo. Períodos com excesso de precipitação em qualquer época do ano muitas vezes resultam em desastres que trazem diversos prejuízos econômicos e sociais. Este trabalho analisa os eventos extremos de precipitação caracterizando-os conforme sua persistência e abrangência, verificando a influência do fenômeno El Niño Oscilação Sul e os padrões atmosféricos relacionados. A metodologia aplicada nas séries temporais diárias de dados em ponto de grade permitiu classificar os eventos extremos em dois grupos principais, denominados como Chuva Intensa e Chuva Persistente, para um período de 37 anos (1979-2015). O desenvolvimento de um algoritmo computacional permitiu a identificação e conhecimento da abrangência espacial dos eventos extremos de precipitação, os quais foram classificados em caráter abrangente e não-abrangente, resultando quatro grupos de chuvas identificados conforme os critérios de intensidade, persistência e abrangência. A análise de compostos atmosféricos e anomalias aplicada à nova geração de dados de reanálise ERA-INTERIM permitiu identificar os sistemas atmosféricos responsáveis por ocasionar tais eventos. Os resultados mostraram que o verão é a estação preferencial para ocorrência de eventos extremos em todas categorias analisadas, os quais são fortemente influenciados pelo fenômeno El Niño. Um maior número de eventos ocorre entre o norte do Rio Grande do Sul e o Paraná, e para os casos de Chuva Persistente o litoral de Santa Catarina se mostra uma região favorável, a este tipo de evento. O estado de Santa Catarina até o sul do Paraná são regiões propícias a ocorrências de eventos Persistentes e Abrangentes na fase neutra do fenômeno, sendo que a Grande Florianópolis apresentou um maior número de casos durante os períodos de La Niña. Os principais ingredientes atmosféricos para ocorrência de eventos extremos com caráter abrangente são a disponibilidade de umidade nas camadas mais baixas da troposfera, juntamente com o jato de altos níveis e um cavado em médios níveis“.

    Em breve a pesquisa estará disponível para consulta no site da Biblioteca Universitária da UFSC e também na aba publicações do site do LabClima.

     

    Clique para ampliar! Da esq. p/ dir.: Prof.ª Dr.ª Carla; Prof. Dr. Rosandro (ao fundo); Dr.ª Laura Rodrigues; Dr.ª Camila de Souza Cardoso; Prof. Dr. Maurici e; Prof. Dr. Hugo Romero.

     

    Clique para ampliar! A mais nova doutora durante sua defesa de tese.


  • Artigo publicado (post mortem) por Magaly Mendonça – Revista Diálogo Andino

    Publicado em 09/11/2017 às 16:19

    Disponível a versão completa do artigo publicado (post mortem) pela Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça (GCN/LabClima – UFSC), na Revista Diálogo Andino, intitulado: Monzón Sudamericano: la integración de la circulación amazónica y altiplánica y las variabilidades climáticas del altiplano andino chileno.  Para conferir é só acessar: http://dialogoandino.cl/wp-content/uploads/2017/11/02-MENDON%C3%87A-RDA54.pdf.

    O artigo foi preparado e traduzido para o espanhol pelo Prof. Dr. Hugo Romero (UChile), a partir de algumas notas enviadas pela Prof.ª Magaly antes de adoecer.

    Divulguem mais uma rica e ímpar colaboração da nossa saudosa professora. Agradecemos ao Prof. Hugo pelo esforço em tornar pública esta contribuição científica!

    Esta e outras publicações dos membros do LabClima – UFSC você encontra em: http://www.labclima.ufsc.br/trabalhos/.


  • LabClima presente na VI SECITEC – IFC Campus Luzerna

    Publicado em 07/10/2017 às 12:02

    Entre os dias 27 e 30 de setembro ocorreu a VI SECITEC. O LabClima foi convidado a participar da semana com a palestra intitulada: “Climatologia dos desastres socionatuais em Santa Catarina”. Na ocasião o Pesquisador Prof. Dr. Pedro Murara, membro do LabClima/UFSC, colaborou para esclarecer conceitos relacionados à climatologia de SC e às adversidades atmosféricas e suas relações com as perturbações que caracterizam o estado, resultando em eventos como tempestades, tornados, deslizamentos, estiagem, geadas, neves e furacões.

    A palestra teve como principal público os estudantes dos cursos de: nível médio, técnico e superior das áreas de Automação Industrial, Mecânica e Segurança do Trabalho, todos do Campus Luzerna – IFC. Baseado nas pesquisa e estudos desenvolvidas pelo GEDN, Murara pautou sua apresentação no Atlas de Desastres Naturais do Estado de Santa Catarina e discutiu com a plenária o conceito de desastres socionatural que vem sendo desenvolvido pelos pesquisadores do LabClima.

    O LabClima agradece todos os responsáveis pelo evento e pelo convite.

    Prof. Dr. Pedro Murara durante sua palestra no IFC Campus Luzerna (clique para ampliar).

     


  • Boas-vindas aos calouros e muita emoção durante o lançamento do 36º Cadernos Geográficos – em homenagem à Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça

    Publicado em 19/09/2017 às 17:29

    Nesta segunda-feira (18) aconteceu nas dependências do auditório do CFH/UFSC, em Florianópolis, o Lançamento do 36º Cadernos Geográficos, intitulado: Investigações climáticas em eventos extremos: análises socionaturais – “Homenagem à Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça”. Além de ser também a Aula Inaugural do Curso de Geografia 2017.02, com a palestra: Topoclimatología cultural andina: la Geografia y el cambio climático, ministrada pelo Prof. Dr. Hugo Romero (UChile).

    O evento foi muito emocionante por se tratar de uma homenagem póstuma à Prof. Magaly, que durante longos anos trabalhou com Climatologia Geográfica e Desastres. A saudosa Prof. Magaly também foi coordenadora do LabClima – UFSC, do GEDN e ministrou a disciplina de Climatologia, entre outras, no Departamento de Geociências da UFSC.

    Além dos graduandos do curso de Geografia, na plateia estavam amigos de longa data da professora, ex-alunos, ex-orientandos, colegas, admiradores e estudantes/pesquisadores de outras áreas do conhecimento interessados em ouvir ao Prof. Hugo e confraternizar.

    O evento contou com a participação do Prof. Dr. José Messias Bastos (LABEUR/GCN/UFSC), que fez uma apresentação do Cadernos Geográficos, trazendo a tona grandes contribuições de geógrafos e demais pesquisadores que já publicaram na revista; o professor ainda deu as boas-vindas aos calouros e abriu o evento. O Prof. Dr. Alberto E. Franke (GCN/UFSC), atual coordenador do LabClima e um dos idealizadores do evento, fez uma breve explanação dos depoimentos e artigos científicos que compõem esta edição do periódico. Posteriormente, foi a vez do Prof. Dr. Hugo Romero proferir a brilhante palestra e arrancar elogios dos participantes, bem como muita emoção de todos ao lembrar o público das contribuições da Prof. Magaly e também ao mostrar suas fotos durante suas pesquisas de pós-doutoramento no Chile.

    Certamente o LabClima agradece a todos os participantes, a todos organizadores, aos que contribuíram com a construção do 36º Cadernos Geográficos e, especialmente, ao LABEUR – UFSC. Sem o convite do LABEUR por meio do Prof. José Messias Bastos e do doutorando Edson de Morais Machado, esta homenagem não teria se concretizado desta maneira tão bela.

    Nossos cordeais agradecimentos a todos que fizeram parte deste grande dia de muitas emoções.

    Aproveitamos para divulgar o link da versão digital do 36º Cadernos Geográficos: http://cadernosgeograficos.ufsc.br/files/2017/09/Caderno-Geogr%C3%A1fico-36.pdf. Para quem quiser obter uma cópia impressa do material, basta acessar: http://cadernosgeograficos.ufsc.br/aquisicao/.

    Organização do 36º Cadernos Geográficos: Prof. Dr. Alberto E. Franke (GCN/UFSC), João A. Zavattini (Prof. Colaborador do PPGG/UFSC), Maikon P. A. Alves (PPGG/UFSC) e Rafael Brito Silveira (PPGG/UFSC).

    Idealização: LABEUR – UFSC e LabClima – UFSC.

    Editoração: José Messias Bastos e Edson de Morais Machado.

    Confiram algumas fotos (clique para ampliar):

    Da esq. para dir.: Prof. Dr. Alberto E. Franke, Prof. Dr. José Messias Bastos e Prof. Dr. Hugo Romero.

    Público atento.

    Público acompanhando a palestra do Prof. Hugo Romero.

    Prof.ª Dr.ª Maria Lúcia de Paula Herrmann (esq.) prestigiando.

    Prof. Dr. Hugo Romero.

    Participantes do evento conversando com o Prof. Hugo, momento para ampliar a rede de contatos e amizades.

    Confraternização pós-palestra.

     


  • Lançamento do Cadernos Geográficos Nº 36 – Homenagem póstuma à Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça

    Publicado em 11/09/2017 às 9:16

    O LabClima tem a honra de convidar a todos para o Lançamento do Cadernos Geográficos Nº 36, produzido como homenagem póstuma à Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça, organizado por seus amigos e orientandos. O Caderno Nº 36 é uma compilação de depoimentos pessoais de grandes amigos que a Prof.ª Magaly conviveu ao longo da vida e também de artigos científicos produzidos por colegas e orientandos.

    Além do lançamento, ocorrerá também a Aula Inaugural do Curso de Geografia da UFSC (Calouros 2017.02).

    O palestrante principal será o Prof. Dr. Hugo Romero (UChile).

    Prestigiem!

    Agradecimentos ao Prof. Dr. José Messias Bastos, ao doutorando Edson Machado e aos membros do LABEUR – UFSC.

    Em breve a versão digital estará disponível para consulta no website do Cadernos Geográficos.


  • Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça (in memoriam) recebe homenagem durante o XVII SBGFA em Campinas

    Publicado em 03/07/2017 às 16:02

    A Prof.ª Dr.ª Magaly Mendonça (in memoriam) recebeu durante a realização do XVII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada (XVII SBGFA) uma homenagem feita pela Prof.ª Dr.ª Lucí Hidalgo Nunes (Unicamp), ao final da sua fala na mesa-redonda sobre Geografia Física e Desastres Naturais, em um auditório bastante cheio.

    A Prof.ª Dr.ª Lucí afirmou que não há como falar de desastres na geografia física brasileira sem recordar do nome da Prof.ª Dr.ª Magaly. Para além disto, lembrou da ótima pessoa que ela foi e os ótimos exemplos que ela continua deixando, mesmo sem conhecê-la tão bem pessoalmente.

    Prof.ª Dr.ª Lucí durante sua fala homenageando nossa querida e saudosa Prof.ª Dr.ª Magaly. Foto: Gabriela Goudard.

    Foi um momento muito emocionante durante o evento. Alguns alunos da Prof.ª Magaly (ex-orientandos) e muitos amigos que estavam presentes no auditório se sentiram tocado com a homenagem surpresa. Todos (as) membros do LabClima e demais colegas agradecem ao momento proporcionado pela Prof.ª Lucí. Sem dúvida este reconhecimento foi merecido.

    O Prof. Dr. Hugo Romero (Universidad de Chile) ao final da sua conferência do evento também dedicou sua fala à Prof. Magaly, sua ex-esposa.


  • Membros do LabClima – UFSC participam do XVII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada (XVII SBGFA) em Campinas

    Publicado em 03/07/2017 às 15:37

    No último domingo (02) teve encerramento o XVII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada realizado em Campinas – SP.

    Maikon P. A. Alves, Rafael Brito Silveira e o Prof. Dr. Pedro Murara (LabClima/UFSC – UFFS), membros do LabClima, participaram do evento, representando o laboratório e também a UFSC.

    O evento foi muito enriquecedor, com grandes palestras em diversas áreas do conhecimento da geografia física. Foram cinco dias de evento, incluindo minicursos, saídas de campo, apresentações orais, pôsteres, palestras, homenagens, mesas-redondas e conferências nacionais e internacionais. O evento ocorreu nas dependências da Unicamp.

    O doutorando Maikon P. A. Alves (PPGG/UFSC) apresentou o trabalho intitulado: Influência do fenômeno ENOS nas ondas de frio e episódios de geadas em Santa Catarina, com coautoria do Prof. Dr. Rosandro B. Minuzzi e Rafael Brito Silveira. O também doutorando Rafael Brito Silveira (PPGG/UFSC) apresentou o trabalho: Contabilização das ondas de frio em Curitiba – Paraná, que tem como coautores: Geisa Silveira da Rocha (LaboClima/UFPR) e Maikon P. A. Alves.

    O Prof. Dr. Marcelo Accioly Teixeira de Oliveira e  o Prof. Dr. Norberto Olmiro Horn Filho,  participaram de diferentes mesas-redondas representando o Departamento de Geociências e o Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC.

    Em breve os trabalhos completos apresentados pelos doutorandos estão disponíveis no site do evento e também na aba “Publicações” do site do LabClima.

    Rafael Brito Silveira e Maikon P. A. Alves no XVII SBGFA na Unicamp.

    Doutorando Rafael Brito Silveira apresentando seu trabalho. Eixo 3: Climatologia em diferentes níveis escalares: mudanças e variabilidades.

    Doutorando Maikon P. A. Alves explicando os resultados da pesquisa.

    Maikon e Rafael participando do minicurso: A Antártica e o clima na América do Sul: novas perspectivas. Ministrado pelo Prof. Dr. Francisco E. Aquino (UFRGS) e a Dr.ª Venisse Schossler (UFRGS).


  • Graduandos visitam a estação meteorológica do IFSC/Florianópolis

    Publicado em 07/06/2017 às 10:34

    Ontem (06) os alunos da disciplina de Climatologia Dinâmica e Geográfica (2ª fase) do curso de Geografia da UFSC visitaram a estação meteorológica do IFSC, Campus Florianópolis (Centro).

    A visita é uma iniciativa semestral do Prof. Alberto E. Franke, coordenador do LabClima e ministrante da disciplina, em parceria com o Prof. Daniel Calearo (IFSC). Daniel é professor do curso técnico em meteorologia do IFSC e também membro do LabClima/UFSC.

    Na ocasião os alunos tiveram a oportunidade de conhecer uma estação meteorológica automática, a estação convencional e também saber o papel do observador diante da coleta e processamento de dados.

    A visita dos alunos foi acompanhada pelos doutorandos e membros do LabClima, Maikon P. A. Alves e Rafael Brito Silveira.

    O Prof. Alberto E. Franke, em nome do LabClima, agrade ao Prof. Daniel Calearo pela oportunidade e também ao IFSC por possibilitar a atividade.

     

    Estação meteorológica do IFSC/Florianópolis (Clique p/ ampliar).


  • Evento em Portugal – CGP 2017

    Publicado em 31/05/2017 às 12:15

    Entre os dias 9 e 11 de novembro de 2017 acontecerá o XI Congresso da Geografia Portuguesa, em Porto.

    Conforme os organizadores do evento, José Alberto Rio Fernandes (APG) e  Teresa Sá Marques (U.Porto): “Docentes de todos os níveis de ensino, investigadores e outros geógrafos, estudantes de licenciatura, mestrado e doutoramento, vindos de Portugal e outros países de língua portuguesa, todos são esperados. E garantidamente bem-vindos. Trabalharemos para que aproveitem e fiquem a ganhar com os dias que passemos juntos”.

    • Data limite para a submissão de resumos: 30 de Junho;
    • Todas as informações podem ser visualizadas em: http://cgp2017.weebly.com/.


  • Feliz dia, geógrafos e geógrafas!

    Publicado em 29/05/2017 às 10:12

    Feliz dia, geógrafos e geógrafas!

    São os votos do LabClima – UFSC.